segunda-feira, 13 de março de 2017

IPV, o semi-empreendedor! Nova fase da vida...

Buenas galera! Aos que me acompanham, já perceberam que gosto de privacidade (aos que não acompanham muito, que fiquem sabendo). Outra característica minha, é estar seguro dos meus investimentos, e essa característica chega a ser, em certos momentos, exagerado. Eu sei, isso não é muito bom, mas deixa-me com duas opções: mudar ou me adaptar.

Opto pela segunda: adaptar meus investimentos em ativos que me deixem seguro. Não digo com isso que a renda fixa que aplico é segura, e sim que meu dinheiro aplicado nela não me tira o sono, nem que o dinheiro que investi em imóveis é seguro e que tem uma rentabilidade astronômica, mas também não me tira o sono.

O lado negativo dessa busca por segurança é a inaptidão pelo empreendedorismo. Realmente não sou um empreendedor, pelo menos não até agora*, e nos moldes comuns de empreendedorismo. Não penso em montar uma loja, ou um comércio eletrônico. Gosto muito de frigoríficos, mas não me passa pela cabeça em ter um, nem criar boi, suínos ou frangos. Tenho um emprego CLT e uma representação comercial. E é isso! Um me dá segurança e outro um extra. Ajustei minhas despesas para que meu fixo mais o fixo da minha esposa custeiem a casa, e que as comissões fiquem livres para investir.
*Não até agora: muitos se tornam empreendedores devido a necessidade. Até então não tive necessidade de empreeender, o que não quer dizer que no futuro essa necessidade não apareça.
Como comentei, nunca empreendi nos moldes convencionais, porém, comprei imóveis para renda e para futuras construções, e agora entro numa nova fase:

IPV - AGROSILVOPASTORIL


No caso, ficarei somente na parte do silvo, o agropastoril talvez no futuro, mas não é a ideia original.

Quem compra terra não erra, diz o ditado - espero que ele esteja certo... mas sou um otimista nato. Avalio os riscos e foco no resultado positivo.

Há aproximadamente um ano venho estudando a compra de um pedaço pequeno de terra para cultivo de eucalipto. O mercado está em baixa e o povo que plantou eucalipto focou na produção de energia, pois é um ciclo curto. Agora estão migrando para pasto e, aonde conseguem mecanizar a terra, para as culturas tradicionais (milho e soja).

Meu projeto é cultivar com foco em madeira para serraria, uma vez que a lenha já sai automaticamente no ralheio, na desrama e nas sobras do corte. Bom, esse é o projeto, mas costumo aprender o caminho, caminhando... então, pode ser que daqui há alguns anos o mercado tenha mudado e eu avalie diferente.

Isso também dará uma mudada no blog, pois terei um assunto diferente para comentar por aqui: a saga desse investimento de longo prazo. Inciando, já posso expor...

Os fatores de decisão para compra da terra


Tamanho: como não tenho experiência, busquei um sítio pequeno para iniciar, o que foi difícil, pois as opções que vinha encontrando eram grandes demais ou pequenas demais.

Preço por hectare: conseguia bons preços em áreas muito longes e/ou em grandes extensões, o que inviabilizava o investimento ou estava acima do meu limite. Quando achava áreas pequenas e com melhor localização, o preço por hectare que estava era elevado, ou já tinham muitas benfeitorias o que inviabilizava.

Topografia: para o plantio de eucaliptos eu não preciso de uma área mecanizada. Pode ser uma área dobrada, mas que não seja uma pirambeira que depois não consiga transportar, nem que seja virada em pedra pois gastaria muito com o manejo e perderia muita área. O desenvolvimento das árvores também poderia ficar comprometido.

Localização: lenha é um produto de baixo valor agregado, então quanto menor o deslocamento para escoar a produção, melhor. Mas IPV, seu projeto é para madeira, não? Sim... mas sempre terei uma produção de lenha, é inerente ao processo, e tenho que dar escoamento para ela.

Água: o ideal é que a terra tenha fonte de água, para não depender exclusivamente de São Pedro.

Infraestrutura: é importante para o escoamento o acesso a estradas. Energia elétria e água de concessionária disponíveis também, pois pretendo fazer uma pequena casa para passar alguns finais de semana.

A terra prometida!


Finalmente, achei a terra que estava procurando... obviamente que abri mão de alguns quesitos, pois perfeição é difícil. O principal foi o valor - ficou cerca de 15% acima do que queria pagar, mas a qualidade da terra é superior ao que estava buscando. Ou seja, comprei uma terra melhor do que precisava.

Tamanho: ficou bem dentro do que buscava. Área pequena porém viável para a produção.

Preço por hectare: ficou em 20,7k, o que não é uma pechincha, mas na região em que estou comprando e, pelo fato de metade dela ser mecanizada, o preço está da média para baixo.

Topografia: conforme comentei, metade da área é mecanizada, inclusive está com plantio de milho. A área é pouco dobrada o que facilita numa eventual saída do investimento (venda), pois é uma área mais versátil.

Localização: na minha avaliação é excelente, pois num raio de 80 km tenho cerca de 10 indústrias grandes consumidoras de lenha (frigoríficos e laticínios, principalmente). Além disso, há muitos produtores de frango onde usam tanto lenha como maravalha e cavaco.

Água: não idntifiquei nenhuma fonte/mina d'água, mas tem uma sanga/riacho no início da propriedade e nas propriedades vizinhas tem açude que já foram oferecidos - só canalizar.

Infraestrutura: Em questão de estradas, dois km de chão e uns quatro de paralelepípedo, depois asfalto, o que facilita bem o escoamento. Tem disponibilidade de energia e água, só terei o custo de fazer as ligações.

Bueno! Agora é esperar passar o inverno e começar a plantar os ZOCALITOS!




18 comentários:

  1. Como você concilia emprego CLT e representação comercial?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Anônimo! Eu tenho um acordo com a empresa (CLT) em que posso oferecer alguns produtos a clientes em comum, ou seja, clientes que já visito. Obviamente, meu foco principal é o da empresa CLT, assim a representação é um extra.

      Tem clientes que vendo itens da representação pois já vendo itens da empresa CLT, mas também há casos em que a representação 'abre as portas' para a outra empresa. Assim é um ganha-ganha. Obviamente, os produtos não são concorrentes, mas são complementares.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  2. Boa fase dá vida... desafios.

    Com certeza você já deve ter feito bom planejamento e verificou que os dois principais custos nesta atividade são: colheita e transporte da produção até o mercado consumidor. Você já definiu qual espécie de planta irá cultivar?

    Apenas por curiosidade, vender a madeira em pé apresenta alguma vantagem?

    Sucesso no empreendedorismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, G65! Os custos principais não são somente colheita e transporte.

      Há um custo representativo nos primeiros dois anos que inclui compra das mudas, mão de obra para plantio, controle de pragas (formigas) e a primeira desrama, provavelmente aos dois anos. Essa desrama é importante para fazer com que a árvore cresça linear e com poucos nós.

      Outro custo elevado é o imobilizado, pois o ciclo é longo, no mínimo quatro anos.

      Finalmente chega-se no corte e transporte e aí depende muito de mercado. Hoje tem regiões em que estão pagando R$ 35,00 o metro em pé, livre de tudo. Mas tem regiões onde entrega-se por cerca de R$ 50,00 no cliente e gasta-se cerca de R$ 35,00 para corte e transporte, ou seja, sobra R$ 15,00 por metro.

      O problema de vender a madeira em pé é que, via de regra, quem compra conhece mais de madeira do que quem está vendendo... então numa floresta a cada 1.000 metros que ele paga, ele pode estar tirando 1.200 e você não sabe.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  3. Ótimo, IpV.

    De vez em quando publique um post a respeito do andamento do empreendimento.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou publicar sim, inclusive quero usar o blog como um histórico do empreendimento.

      Excluir
  4. Excelente, IPV... Interessante começar a acompanhar esse seu investimento, até mesmo pra gente abrir o leque para outras possibilidades.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, EP! Que bom que isso vem despertando interesse na galera! Eu sempre gostei da área rural e essa é uma ideia que venho amadurecendo há vários anos.

      Honestamente, esse empreendimento é um misto de investimento e realização pessoal.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  5. Que bacana, vou acompanhar o desenrolar desse empreendimento.


    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, VC1KK! Beleza, vamos ver no que dá essa ideia!

      Abraço e sucesso!

      Excluir
    2. Cara, ouvi esse musica ontem e lembrei na hora do seu blog kkkkkkk, de uma olhada rsrs...

      https://www.youtube.com/watch?v=WTOaJm2a_8Y

      Abs.

      Excluir
    3. Imaginei que fosse essa! Kkkk! No próximo post eu vou colocar o clip.

      Abç.

      Excluir
  6. Legal IpV,

    Desejo boa sorte nesta nova caminhada. Agora você é fazendeiro.

    Meu pai também tem terra, acho que daria até para eu montar um negócio lá, mas a distância da minha cidade atual acaba inviabilizando.

    Vai fazendo umas pastagens aí para nós sobre o negócio.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Cowboy! Fazendeiro... ainda não, mas quem sabe um dia! Eu também não tenho muito tempo para me dedicar, por isso escolhi os eucaliptos. Boi, soja, milho, etc. tem que estar em cima ou ser muito grande para ter funcionário e administrador - não é minha realidade!

      Vou postar sim, acho que vai ser legal!

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  7. IV,

    Interessante ....sempre que começo a ver imoveis.. terrenos acabo sempre deixando pra la .. heheh ..

    abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Oshiro! Eu cheguei a conclusão que sou viciado em imóveis! Vamos ver o que dá...

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  8. Muito bom IpV! Aqui na minha região se vê muita plantação de eucalipto. Sempre tive curiosidade sobre o assunto, vai ser bom acompanhar teus relatos. Sucesso na nova fase! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Gaúcho! Pois é, ali na terrinha tem muito eucalipto (e pinus), o mercado deu uma caída boa, vamos ver o que o futuro nos reserva!

      Abraço e sucesso!

      Excluir