domingo, 19 de março de 2017

Pagando a conta!!!

Adios mi cerdo!
Buenas, galera! Gostei muito de escrever o post passado A carne é fraca, e a JBndeS, será que é forte?, sobre a operação Carne Fraca da PF. A repercussão foi interessante e devo voltar ao tema em breve. Entretanto, hoje retorno ao projeto da produção de eucaliptos, falando sobre a aquisição da terra. Então, quebrei o porquinho e tô raspando a guaiaca... amanhã pago a entrada referente a aquisição da terra. Sinceramente, dá dó em baixar as aplicações, vender FIIs, vender Ações... mas, como diz um filósofo amigo meu:

Quem tem medo de cagar, não come!!!


Bueno, vamos nessa, pagar a entrada e suar para honrar as cinco prestações. A negociação foi a seguinte: entrada de 45% do valor total e cinco prestações mensais de 11% cada. Isso vai representar, na teoria, um desfalque cerca de 30% da minha carteira de investimentos. Dói na alma!!! Na prática, pretendo reduzir esse impacto pois boa parte do valor vai sair dos aportes mensais que não farei... continua doendo na alma!!!

Porque parcelei? Primeiro, pois eu teria que vender muitos ativos e não estava seguro que essa seria a hora. Segundo, porque o vendedor iria descontar apenas o valor do rendimento da poupança para um eventual pagamento à vista. E, em terceiro lugar, costumo parcelar imóveis e serviços - imóveis para avaliar se não tem nenhum problema escondido embora a documentação da terra esteja toda ok; e serviços pois quero saber se o que foi feito funciona antes de pagar.

Porque não financiei em prazo maior? Conseguir financiamento para imóveis rurais não é fácil, inclusive não encontrei nenhuma modalidade direta para isso. As opções que eu teria seriam contrair empréstimo pessoal; fazer um empréstimo com garantia em imóveis/automóvel; e consórcio. Colocar a terra em garantia não passava pela minha cabeça, pois DIZEM que o crédito rural para custeio é interessante - aí por setembro devo ficar sabendo. Assim, evitei ficar com a terra alienada.
Mansão do Mutley

De todas as opções de financiamento a melhor seria via consórcio. Comprar um carta e dar o lance para contemplação, o que, na média, ficaria num CET de aproximadamente 0,9% a.m. Não é alto como um empréstimo, mas não é nada vantajoso ao meu ver - prefiro apertar agora e não dever nada.

Next steps... os próximos passos são (1) a busca de fornecedores para as mudas, e a turma para realizar o plantio; (2) providenciar as ligações de energia e água potável para a propriedade; (3) definir o projeto da "mansão" que vou construir no sítio e avaliar os custos para isso. Tenho uns cinco meses para pesquisar bem e acertar tudo - obviamente que a prioridade são as mudas e o plantio.

O contrato e o advogado!!! Já ia esquecendo... contratei um advogado para assessorar na 'negociação'. Na verdade apenas para orientar nas cláusulas do contrato de compra e venda. O custo é baixíssimo comparado ao valor do investimento, e parti do princípio de que prefiro pagar um advogado sem necessidade agora do que ter que correr atrás de um por necessidade depois.

Riscos de compra na propriedade rural: como todo o imóvel é importante verificar se há algum impedimento sobre o mesmo antes da compra. No caso dos imóveis rurais, eles podem ser reserva indígena, podem estar averbados como reserva legal (RL) para outra área ou da mesma, podem ser ou conter uma fração muito elevada de áreas de preservação permanente (APP), podem ser parques nacionais, estaduais ou municipais (na sua totalidade ou em parte), podem conter ônus diversos, estarem hipotecados, estarem em disputa judicial, fazerem parte de inventário ainda não finalizado, terem cédulas pignoratícias, etc. Então, como não é meu cotidiano, prefiro delegar essa verificação para alguém competente, no caso um corretor de imóveis e/ou um advogado.

Bom, vou encerrando por aqui para amanhã ir em busca da mascada... e, seguindo a sugestão do amigo VC1KK, vou mudar drasticamente a linha dos clipes que coloco nas postagens...


13 comentários:

  1. Respostas
    1. Buenas, Oshiro! Sorte vai ajudar... e a paciência também. O investimento é de longuíssimo prazo!

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  2. Melhor parte: Quem tem medo de cagar não come. É essa porra aí mesmo! Hahaha.
    Agora falando sério. Tenho a impressão que o BB faz financiamento para imóveis rurais. Pois ele se denomina o banco do agronegócio (uma coisa puxa a outra não é?). De qualquer forma estou gostando da sua organização e planejamento, tem alguém te orientando nessa empreitada? Ou você já é macaco velho no ramo?
    De qualquer forma. Boa sorte meu amigo, aguardamos mais notícias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Einstein! O crédito está seco no mercado. Até consegue-se, mas o custo está elevado.

      Quanto a organização e planejamento, estou sozinho na empreitada. Buscando informações aqui e ali. Tenho um plano B caso o projeto de Eucalipto não se mostre viável.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  3. É isso aí... mãos às obras. Bacana acompanhar a evolução.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Banco nenhum no Bostil financia imóvel rural, pois o imóvel não pode ficar alienado. O que pode acontecer é você já tem imóveis na cidade e os dá como garantia do imóvel rural aí sim você consegue o financiamento. Sem garantia tchau e bença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, PC! O imóvel rural pode ficar alienado, mas normalmente foca-se na alienação do imóvel rural para custeio (plano safra e etc.). Eu acredito que não vou financiar o custeio, mas vou explorar as alternativas e postar aqui.

      Eu poderia dar imóveis na cidade como garantia, mas o custo está elevado. A melhor opção é consórcio, só que não dá para garantir em quanto tempo consigo a contemplação (mesmo com lance).

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  5. IV, qual é o % de alocação de sua carteira para ações, imóveis, FIIs, RF...?

    ResponderExcluir
  6. Buenas, Anônimo! Segue aí:

    Imóveis 56%
    Renda Fixa 30%
    Ações 6%
    FIIs 6%
    Dólar 2%

    Abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  7. Também estou querendo comprar uma fazenda mas estou negociando algumas oportunidades afinal na crise, nos poupadores, é que mandamos nas negociações. Espero ser fazendeiro logo. Estou torcendo por você na sua empreitada ainda mais em si tratando do que mais gosto: terra.

    ResponderExcluir