sexta-feira, 31 de março de 2017

A carne continua fraca...

Buenas galera! Nessa altura já deveria estar preparando o post do final de mês com rentabilidade, etc., mas estive extremamente ocupado nessas duas últimas semanas e ainda estava devendo mais um post sobre a Carne é Fraca, então la vai...

Conforme eu havia comentado no post A carne é fraca, e a JBndeS, será que é forte? o papelão na carne era um papelão da fiscalização, realmente comprova-se que isso é absurdo. Colocar papelão no CMS significa entrar com caixas de papelão no setor que produz CMS, o que não é permitido. Provavelmente estava faltando bandejas plásticas para os sacos de CMS serem depositados e irem para o congelamento - a "solução" seria depositar os sacos de CMS em caixas de papelão e enviar assim para o túnel de congelamento. Caso o CMS não seja congelado logo é bem provável que seja condenado (enviado para ração animal).

O outro absurdo foi o que publicaram sobre o ácido ascórbico (vitamina C). No post eu comento que deveria ser outro produto entre eles o ácido sórbico, justamente o que o delator Daniel Gouvêa Teixeira citou em entrevista ao Fantástico. Agora, não fizeram pesquisa de formol, o que é mais grave.

Na mesma entrevista o fiscal agropecuário diz que um frigorífico usava 94% de CMS no produto. Bom, aí tem algum erro de matemática: o frigorífico estaria usando 94% de CMS, mais Fécula de Mandioca, mais Proteína de Soja, mais Sal, até 10% de água, mais condimentos, antioxidante, estabilizante... ops! passou muito dos 100%.

Na minha opinião, a legislação sobre carnes no Brasil é muito rígida e atrasada. O RIISPOA que é a Bíblia da Inspeção é de 1952 e teve uma maquiada em 2016. Por exemplo:
  • Permite-se adicionar até 3% de água em produtos frescais e até 10% em produtos cozidos. Na vida real isso é bem diferente
  • É permitido uso de amido em salsichas e apresuntado (máximo 2%), mortadelas, fiambres e embutidos cozidos (máximo 5%). Não é permitido em linguiças (inclusive calabresa cozida) e presunto
  • É permitido uso de 2,5% de proteína de soja em algumas linguiças e 4% em salsichas, mortadelas e embutidos cozidos
  • Não é permitido o uso de corante artificial em produtos cárneos
  • É permitido o uso de ácido sórbico e seus sais (sorbatos) somente na parte externa, nunca na massa
  • Não é permitido o uso de CMS em produtos frescais
Enfim, o que enumerei acima são apenas exemplos da legislação, mas que em muitos casos não são seguidos e nem fiscalizados. A fiscalização é falha e o ramo é promíscuo.

Na minha opinião, as fraudes sanitárias deveriam ser fortemente combatidas, como o uso de CMS em produtos frescais e o controle microbiológico de carnes e produtos cárneos. Pega o produto no ponto de venda e analisa - simples assim! Depois vai ter choro, porque a culpa é do mercado que não conservou, ou a culpa é da industria porque produziu sem higiene, etc. mas saúde é saúde.

Quanto as fraudes econômicas, como a adição de água, fécula, proteína fora do limite permitido, penso que a legislação deveria ser mais branda e deixar o produtor mais livre desde que informe no rótulo do produto o que está vendendo. É assim em outros países. Então, se quero vender salsicha com 10% de fécula, tudo bem, desde que esteja informado no rótulo. Aí cabe a fiscalização conferir se o informado bate com o produzido.

Vejam como a legislação atual favorece ao infrator: se o Frigorífico A produzir salsicha com 2,1% de amido, terá a mesma penalidade de um Frigorífico B que venha a produzir com 10% de amido. Então, se é para correr o risco, corre-se para ganhar bem, ou seja, o crime tem que compensar.

Isso não é de hoje, no tempo em que haviam aqueles frangos caixa d'água, que eram injetados até o máximo, se você injetasse 10% ou 60% a multa era a mesma. E, além disso, quando um frigorífico era multado, ele já tinha ganho 10x ou mais o valor da multa no frango injetado que tinha vendido. Já faz quase dez anos que não se injeta mais, o MAPA lacrou as injetoras, mas ainda tem alguns artistas que conseguem, não só em frango, mas em carne suína e bovina também. 

Se quiserem encontrar fraudes em embutidos, segue a lista:

  • Presença de corante artificial
  • Presença de amido acima do permitido e em produto que não é permitido
    • Salsicha e apresuntado (máx 2%)
    • Mortadela e fiambre (máx 5%)
    • Presunto e linguiças (qualquer tipo, inclusive calabresa cozida) não é permitido
  • Presença de ácido sórbico e seus sais em linguiças, mortadelas, salsichas, etc.
  • Presença de CMS acima do limite ou em produtos onde não é permitido - essa análise é mais difícil, pois precisaria de uma análise de DNA
Mudando de assunto (pero no mucho), hoje saíram novos laudos de produtos dos frigoríficos que haviam sido interditados. Resultado: tudo dentro dos padrões!!! Entretanto, não analisaram os parâmetros que estavam fora na primeira análise como teor de amido e presença de ácido sórbico e seus sais.

Bueno, vamos encerrando por aqui, que tenho mais algumas fórmulas para conferir... enquanto alguns choram, outros vendem lenços, né?

Clipe de hoje: Janaynna e Jorge & Mateus ¨A carne é Fraca¨


8 comentários:

  1. Tem muitos interesses por trás dessas fraudes. Não é de se assustar como essas empresas cresceram tão rápido a ponto de chegar no mercado internacional.
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Eisntein! Infelizmente o ramo é terrível. O pior é que trata diretamente com a saúde das pessoas.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  2. Cara, 'primeiro a construção civil', agora o setor de carnes, será que o setor financeiro tem esquema forte ae pra ser desmascarado também?

    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, PJ! Espero que não, mas não dá para duvidar de nada!!!

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  3. Existem fraudes em outros setores também, nosso país está endemicamente doente !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, SP! A corrupção é algo inerente ao ser humano, existe em todos os lugares e países. O problema é que aqui o índice é muito elevado, mas vamos vivendo!!!

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  4. IV,

    É complicado né .... a gente tem a impressão de que tudo no nosso país se move a corrupção .. e não é que a impressão está correta rs ..

    Abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Oshiro! Infelizmente tenho a mesma impressão! O sistema brasileiro é cartorial, para tudo tem que ter um carimbo, aí você decide se espera o carimbo ou paga para ele vir mais rápido.

      No caso de carnes, a legislação é muito rígida, antiga e engessada. Para piorar, é pouco punitiva o que favorece o infrator.

      Abraço e sucesso!

      Excluir