sexta-feira, 7 de julho de 2017

Os juros futuros 51 dias após a delação da JBndeS!

Buenas, galera! Lembram do dia 18/05/17? Eu lembro, e como lembro. Estava bem confiante na queda dos juros dos TD-IPCA, tanto que no dia 17 havia postado um estudo gráfico sobre as curvas de juros DI1F19 e DI1F25 - Juros Futuros - em queda aguardando a reunião da turma do Ilan

Eis que veio a delação da JBS e os juros subiram. No dia seguinte eu iria vender parte dos TD-IPCA35 que tenho e colocar em TD-Selic. Como diz meu herói Maxwel Smart "foi por um tantinho assim!"

Paciência, não tenho o poder de prever o futuro, então VTNC-PQP!!! Aproveitando o problema para estudar mais e acompanhar a evolução gráfica, percebo que hoje, 51 dias após a delação, a curva de juros curta (2019) já retornou ao mesmo patamar de 17/05, enquanto que a longa (2025) ainda está bastante acima do seu ponto na mesma data. Motivo para isso? Para mim é a instabilidade e incerteza política. Temer cai ou não cai? Maia assume e pode estar envolvido na Lava Jato? Quem tem chances nas eleições de 2018 que já começaram? 

Minha cara quando as taxas subiram e eu não tinha vendido
os títulos que queria ainda
Sim, essa idiotice de eleições antecipadas é besteira que só serve para discurso de demagogo. Nem quem defende essa burrice acha que é viável, mas para efeito de discurso e se fazer de vítima se prestam a defender uma causa perdida. Para termos a eleição antecipada, esta precisa ser aprovada através de uma PEC e, aí, até ser discutida, aprovada, e efetivamente colocada em prática... estaremos no pleito de 2018. Ou seja, é como tosquiar porco, muito berro e nada de lã!!!

Bom, mas o assunto era o gráfico de juros, correto? Então vamos lá. 
1. O gráfico verde e vermelho é o DI1F19 e o azul e rosa o DI1F25
2. No dia 17/05 marcado pelas setas verdes os DIs estavam em ancorados nos suportes de 8,70 (DI1F19) e 10,00 (DI1F25) e, no dia seguinte, subiram na faixa de 130-150 bps.
3. O DI1F19 caiu rapidamente até o antigo suporte de 9,20 e logo rompeu retornando ao mesmo patamar pré-crise (seta vermelha). Ou seja, até 2019 pouco coisa vai influenciar a trajetória dos juros e o mercado já estima a Selic na faixa de 8,00 então pode cair mais um pouquinho.
4. O DI1F25 também caiu rápido mas encontrou suporte nos 10,60. Esse ponto serviu como resistência de meados de fevereiro até final de abril. Acredito que assim que rompido esse suporte, poderemos ter uma rápida queda até os 10,00 e poderei vender parte dos meus preciosos.
5. Vejo o DI1F25 consolidado no quadro verde e, ao meu ver, o motivo dessa consolidação é a incerteza política. O preço das reformas subiu e nem tudo o que estava previsto vai passar, além de não sabermos se vai passar. Então acho justo e até barato o mercado cobrar esses 60 bps pela nossa safadeza.

Isso explica porque as curva do TD-IPCA+19 (azul claro) já está praticamente no patamar pré-crise enquanto que as taxas dos mesmos títulos com vencimentos mais longos (24, 35 e 45) e o TD-Pré23 ainda estão substancialmente acima do patamar pré-crise.
Pré23 -5pp: TD-Préfixado venc. 2023 com 5 pontos percentuais a menos
Fiz isso para ficar mais fácil de visualizar no gráfico
No gráfico acima percebe-se que as curvas amarela (TD-IPCA35) e azul escuro (TD-IPCA45) andam juntas mesmo, pois estão sobrepostas.

O TD-Pré23 teve uma subida maior, mas também uma queda mais rápida. Felizmente (assim espero) na época da explosão comprei esse título ao invés dos indexados.

Bueno, o texto já ficou longo e então hoje vamos parando por aqui mesmo!

Abraço e sucesso a todos!!!

Ah! Sim, hoje tem clipe... tupiniquim... Ultraje a Rigor (Dinheiro)


6 comentários:

  1. Olá; beleza? Vi que você investe em ações; estou estudando pra entender do assunto e começar a investir em renda variável. Uma coisa que me chamou atenção foram os fundos multimercado, que têm uma estratégia arrojada, sendo que alguns têm rendido acima do CDI nos últimos anos.

    Não sei se você aplica... eles costumam ter taxa de administração alta e taxa de performance, mas o gestor tem liberdade para diversificar a grana do fundo buscando bater o IBOV e o CDI. E olha que eles têm ganho.

    Acontece que, olhando algumas das lâminas do fundo, percebi que a maioria (na verdade, quase todos que vi) tem um limite super alto de alavancagem. Alguns dizem que podem se alavancar em 99%, outros 999% e o BAHIA AM MARAÚ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO foi o campeão: 9.999,00%. Não sei se é muita paranoia minha, afinal, este mesmo fundo citado rendeu, desde sua criação em 2012, 89% contra 63% do CDI acumulado. Ou seja, ganhou com folga.

    Alguém aí investe? Não fica com o cu na mão com esses limites de alavancagem? abs..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Cerebellum! Não aplico nesses fundos, na verdade, em fundos só aplico em Imobiliarios e Cambiais. De resto, prefiro aplicar eu mesmo, mesmo não tendo tal performance. Prezo pela segurança e pelo aprendizado. Assim, investindo por conta me obrigo a estudar e aprender.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
    2. Investir,
      Qual o fundo cambial que investe? Não seria mais vantajoso operar futuro na BVMF?
      Abs

      Excluir
    3. Eu aplicava num fundo da Votorantim através da XP. A última informação que tive é que ele estava fechado para novos aportes.

      Quanto a operar o futuro na BMF eu não tenho o tempo necessário para operar e não considero isso uma reserva. Está mais para trade.

      Trata-se de uma operação alavancada com ajustes diários - e são violentos! Já operei no passado, mas hoje prefiro ficar fora.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  2. Fala IpV!
    Muito boa a análise! É interessante notar a diferença de viés do mercado para o curto e para o longo prazo. No curto prazo prevalece a inflação controlada (agora deflação) e trajetória descendente nas taxas de juros. Para o longo prazo a percepção de risco aumentou bastante com as reformas em xeque.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, IR! Obrigado pela visita! Pois é, o mercado está cobrando o preço pela incerteza. O preço das reformas subiram.

      Abraço e sucesso!

      Excluir